Bienal do livro, a festa da literatura

A Bienal do Livro, um dos maiores eventos literários do país,  começa no dia 29 de agosto. Serão 11 dias de muita atividade.É diversão garantida para toda a família.

Vale a pena conferir a programação e escolher o dia em que as atrações mais se identificam com vocês

http://www.bienaldolivro.com.br/

1 comentário

Arquivado em Educação

Aplicativo promete acabar com trânsito na porta das escolas

Este aplicativo é muito interessante. Por enquanto a experiência está sendo feita em São Paulo, mas deve se espalhar por outras cidades também.

Com a volta às aulas, o trânsito aumenta e aumenta muito. Dados da CET-Rio  apontam 400 mil veículos circulando na cidade do Rio de Janeiro no período da manhã. O resultado disso a gente já conhece: engarrafamentos e retenções em toda parte, atrasos e estresse.

E foi de um pai, cansado das longas esperas na escola do filho em São Paulo, que veio a ideia do aplicativo. Reportagem exibida no SBT Brasil

Fonte: Uol notícias

Menos trânsito na porta da escola

Deixe um comentário

Arquivado em Educação

Volta às aulas

volta as aulas

É hora de recomeçar. Para as crianças que permaneceram nas creches, é apenas mais um dia de atividades. Para as demais da educação infantil, que aproveitaram as férias de julho, viajaram e se divertiram bastante, a volta às aulas é um pouco mais difícil. Nesses casos, o papel dos pais é muito importante para incentivá-los na volta à escola.

Eis algumas dicas para tornar este momento mais agradável:

  • Por mais que a volta às aulas mude a tranquilidade de suas férias, não faça um drama para reorganizar a mochila da criança e preparar o material para o segundo semestre;
  • Caso precise repor algum item, mostre entusiasmo ao comprá-lo e dê preferência ao que seja do agrado de seu filho (a): pode ser o personagem favorito, o herói do filme visto nas férias, um novo estojo de lápis ou uma borracha diferente;
  • Converse com seu filho sobre este momento de reencontro com os colegas e professores. Embora ele tenha pouca idade, isto ajudará um pouco a superar esta separação momentânea da família;
  • Prepare um lanche bem gostoso!
  • A escola certamente estará preparada para acolher seu filho, com uma decoração especial e muitas brincadeiras programadas para tornar este reencontro feliz e prazeroso;

Contribua para o crescimento de seu filho!

Deixe um comentário

Arquivado em Educação

O buraco e o vazio

 A convivência com as crianças é sempre muito rica porque elas nos fazem perguntas, que, às vezes, ficamos confusos para respondê-las. De certa forma, ficamos surpresos porque não estamos habituados a pensar nas coisas simples. Nossa mente, vive ocupada.

Neste post, quero compartilhar com vocês outro artigo do professor Genésio Zeferino da Silva Filho. Se quiser ler o anterior, basta clicar em O lápis e o apontador.

Crianças tentam entender o sentido de vazio no buraco

Crianças observam o buraco

O buraco e o vazio 

* Genésio Zeferino da Silva Filho

Certa vez estava falando para um grupo de crianças sobre o futuro, sobre o amanhã, uma delas, Janaina, me perguntou:

– O que é um buraco? As crianças são assim, fazem perguntas que parecem não ter nada a ver com o assunto. Eu não entendi muito o porque da pergunta, mas tentei responder: – um buraco existe quando a gente tira alguma coisa e não recoloca nada no lugar. O buraco é um vazio. E a menina continuou: – e isso é perigoso, não é? Eu, com o intuito de ficar livre da pergunta, respondi que sim. Um buraco pode representar um perigo!

Confesso que não dei muita importância naquele momento, mas na verdade, as duas perguntas de Janaina não me saíam da cabeça. Ficava me perguntando, por que ela estava preocupada com aquilo. À noite, me pus a pensar. E fui descobrindo que aquela criança tinha razão – as crianças quase sempre têm razão, talvez, justamente porque não desenvolveram ainda toda a capacidade de racionalização, de criar desculpas, de inventar outras razões para as coisas. Fui pensando e fui descobrindo que um buraco é ausência, é a presença do nada. E isso, como intuiu Janaina, é terrivelmente perigoso. O vazio mata! Se você tem dúvidas, pergunte aos psicólogos e psiquiatras!

Pensei no estresse, na depressão. O primeiro acontece quando você vai tirando, tirando, doando, doando e não repõe. Vai criando um vazio, até o momento em que sente que não tem mais nada pra dar. Sente-se impotente, esgotado.

A depressão é o vazio de sentido, é um tremendo buraco que se abriu dentro de nosso coração, de nossa alma. Por isso, o deprimido não tem vontade pra nada, não tem força pra sair da depressão, sozinho. Para ele, a vida ficou sem sentido.

A ociosidade é outro vazio, um terrível buraco. É mais ou menos como uma casa abandonada. Logo vêem morcegos, ratos, baratas e tomam posse dela. Uma mente vazia, abandonada de sentido é morada privilegiada dos maus pensamentos, dos desejos descontrolados, das maquinações que chegam sorrateiramente e dela se apossam.

Trabalho, amizades sadias, esportes, estudo, atividades de doação (voluntárias) são alguns exemplos de estratégias que podemos utilizar para evitar o vazio, ou para preencher o buraco que, às vezes, está se formando dentro de nós. Enquanto ele é pequeno, é fácil ser recoberto. Quando ele se torna grande, vai ser preciso muito mais ferramentas, mais esforço, mais ingredientes. Olhemos o que acontece com uma ferida em nosso corpo. Quando é pequena, se curada, quase não deixa cicatriz. Quando é grande, às vezes, nem mesmo um enxerto a preenche totalmente.

Eu o convido a ver e analisar se, por acaso, existe algum buraco se formando dentro de você. Se a resposta é sim, o que tem feito para preenchê-lo ou para evitar que ele se aprofunde? E o que tem feito para ajudar os outros nessa mesma tarefa?

* Genésio Zeferino da Silva Filho é reitor da Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (UNILESTE) e membro da União Brasileira de Educação e Cultura (Ubec)

Deixe um comentário

Arquivado em Educação

Aprendendo com a inocência das crianças

Deixe um comentário

Arquivado em Educação, Vídeos

Receitinhas para curtir o feriado com as crianças e preparar um lanche divertido

No feriado desta quinta-feira, dia 30 (Corpus Christi), papais e mamães terão um tempinho a mais para curtir com seus filhos. Como o feriado acontece no meio da semana, nem sempre há disposição de sair para passeios, enfrentar trânsito e filas para os brinquedos em shoppings para agradar os pequenos. Por isso, neste post vou sugerir receitinhas s-u-p-e-r-f-á-c-e-i-s para serem feitas em casa, em clima bastante divertido e com ingredientes que temos na despensa e na geladeira.
São receitas práticas e que não exigem grande habilidade culinária. Agora, se você quiser colocar sua alma de artista, com certeza, seu filho (a) vai sentir orgulho de contar para os amiguinhos que quem preparou o lanche foi a mamãe.
Para evitar ter que ir ao supermercado na última hora para comprar algum item que está faltando, é melhor planejar e deixar tudo separadinho. Na hora de preparar, fica mais fácil e é mais rápido, até porque as crianças estão sempre com pressa e querem ver logo o resultado.

Centopeia de salsicha

Para fazer esta linda centopeia, corte a salsicha e distribua as metades no prato formando o corpo do bichinho. Use uma faca afiada para fazer a cabeça. Desenhe as perninhas com catchup e os olhos com maionese. Pronto! Viu como é fácil.

Centopeia de salsicha, uma delícia!

Centopeia de salsicha, uma delícia!
Ingredientes:
. Salsichas
. Maionese e azeitona preta (para os olhos)
. Catchup (para as perninhas)
. Salsinha e brócolis (para a “floresta”)
Modo de preparo:Corte a salsicha em rodelas e cada rodela pela metade. Distribua as metades no prato formando o corpo da centopeia. Use uma faca afiada para fazer a cabeça. Desenhe as perninhas com catchup e os olhos com maionese e pedacinhos de azeitona preta. Crie a “floresta” com os raminhos de brócolis e a salsinha picada.
Sanduíche no espeto

Uma forma diferente de apresentar o sanduíche

Uma forma diferente de apresentar o sanduíche

As crianças sempre estão em busca de novidade. Que tal oferecer espetinhos no lanche. É prático de segurar. Monte um sanduíche no espeto: use pedacinhos de pão integral, queijo, picles, peito de peru e tomate (Fonte: Revista recreio)

Sanduíche com cara de urso?

É isso mesmo! É feito com pão de forma integral e muitos ingredientes saudáveis. Ir para a cozinha é pura diversão! A receita é da apresentadora e cantora Danny Pink (“Hora de Brincar”, da Rede Vida.

Ingredientes saudáveis e criatividade são a base deste sanduíche

Ingredientes saudáveis e criatividade são a base deste sanduíche

Ingredientes:
Pão de forma light
Queijo branco
Queijo mussarela
Peito de peru
Requeijão
Minialface
6 tomates-cereja
Azeitonas pretas (sem caroço)
Cenoura ralada ou pepino ralado

Como fazer o sanduíche com cara de urso:
Passe requeijão no pão. Recheie com folhas de alface, peito de peru e queijo branco. Corte os tomates ao meio. Ponha-os no lanche (mas reserve uma metade).
Para as orelhas, divida uma fatia de pão em quatro partes. Faça lanchinhos de mussarela e peito de peru. Encaixe as orelhas no sanduíche grande.
Escolha cenoura ou pepino para cobrir o lanche.
Corte dois círculos de pão para as bochechas. Use meia azeitona no focinho e meio tomate para a língua.
Corte dois círculos de queijo branco para os olhos. Faça detalhes com azeitona. Hora de comer!
Fonte:
http://www.recreio.com.br/faca-voce-mesmo/faca-um-sanduiche-com-cara-d-urso

Vasinho de brigadeiro

E para completar, um docinho não pode faltar. Ainda mais se o doce em questão é brigadeiro.
Monte um vasinho para o seu filho: em um copinho transparente, faça camadas alternadas de brigadeiro e farofa de cereal, terminando com a farofa. Finalize com um galhinho de hortelã e uma “minhoquinha” comestível.

Hummmm, gostoso!

Hummmm, gostoso!

Agora que você já tem as receitas, mãos à obra. Depois escreva contando como o lanche.

Se você criou alguma receita e quer compartilhar, envie para o blog, que terei o máximo do prazer em publicar.

2 Comentários

Arquivado em Alimentação, Educação

Creche: uma opção para quem vai dispensar a babá

Estímulos para bebês na creche

Atividades no berçário

As novas regras para a contratação de empregados domésticos estão levando alguns pais a refazer os cálculos sobre os gastos mensais com os filhos menores. Com os custos mais altos por conta dos direitos adquiridos por estes profissionais, incluindo as babás, a opção de colocar a criança em creches está ganhando força. O serviço prestado em creches e pré-escolas, que já registrava crescimento, tende a tornar-se ainda mais atrativo com esta nova realidade para as famílias brasileiras, principalmente naquelas em que os pais possuem uma alta jornada de trabalho. Se para alguns analistas esse movimento sinaliza uma nova tendência, para a professora Anna Lyddia Collares, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Rio de Janeiro (Sineperj) a mudança já acontecia de forma gradativa. Responsável pela Estação do Aprender, no mercado de Niterói há 15 anos, Anna Lyddia explica que antes as mães ficavam em casa. Depois, com os pais e as mães saindo, os bebês passaram a ficar com as avós. Hoje, com as vovós mais ocupadas com suas próprias atividades (trabalho, ginástica, viagens, etc), as famílias passaram a buscar as creches. E não foi só o grau de ocupação dos familiares que determinou esta mudança, mas o diferencial oferecido por estas instituições, entre eles a proposta pedagógica e o fato de poder contar sempre com uma coordenação ou supervisão do serviço prestado. Berçário: um serviço disputado Por se tratar de um trabalho muito delicado, poucas creches dispõem de berçário. Por isso, as vagas são muito disputadas. Para garantir o atendimento, as futuras mamães costumam fazer a matrícula ainda durante a gravidez. Manter um berçário dá muito trabalho. O atendimento é diferenciado. Por se tratar de bebês, é preciso seguir rigorosamente regras específicas, como número de crianças atendidas por funcionário, horários de alimentação, regras de higiene e estímulos adequados à idade, entre outras que garantem o bem estar da criança. Apesar da dificuldade atual dos pais encontrarem vagas em escolas próximas à residência ou ao trabalho, a tendência é que mais instituições passem a oferecer o serviço para atender a demanda. Embora muito comum em outros países, no Brasil não há hoteizinhos para deixar as crianças eventualmente enquanto os pais precisam fazer compras ou tratamentos médicos, dentários ou estéticos. Por isso a figura da babá e dos serviços de creche em horário integral são valorizados.

Veja como escolher um berçário

Só o fato de pensar em colocar o bebê em outro ambiente que não seja a nossa casa já dá um aperto no coração das mamães. No entanto, se procurar com critério este novo ambiente, essa insegurança será cada vez menor e se isso se refletirá na qualidade dos momentos em pais e filhos estiverem juntinhos.

Veja algumas dicas:

  • Peça referências às amigas e conhecidas. É mais seguro começar por um local já testado e aprovado por outros pais.
  • Procure um local próximo à sua casa ou ao trabalho. Quem vive nas grandes cidades deve evitar longos deslocamentos. Atravessar quilômetros e quilômetros de trânsito com um bebê chorando no banco de trás do carro pode ser uma experiência traumatizante para os dois. Ou então o bebê adormece durante o longo trajeto, no fim da tarde, e depois só vai querer dormir de novo lá pela meia-noite…
  • Estude bem seu orçamento – muitos berçários hoje oferecem educação bilíngue, atividades extracurriculares ou alimentação especial, mas lembre-se de que tudo tem um custo. Somando-se todas as despesas envolvidas na escolinha, a conta pode ficar bem alta. Pergunte sobre taxas de material, matrícula e outros tipos de cobrança além da mensalidade, para não ser pega de surpresa no meio do ano.
  • Visite o local e veja se terá acesso a todas as instalações — apesar de alguns berçários preferirem agendar visitas, é importante poder entrar na área onde ficam os bebês para que você olhe como eles estão acomodados, se há berços individuais e janelas para ventilar o ambiente (os resfriados serão inevitáveis, mas é sempre bom saber que as crianças não ficam confinadas em um local completamente fechado).
  • Pergunte à direção da escola quantas professoras ou berçaristas há por bebê, e que tipo de treinamento/formação as profissionais têm. Até 1 ano de idade, o ideal é que haja pelo menos um profissional para cada três bebês.
  • Veja como funciona a fase de adaptação do bebê ao local — o preferível que a adaptação possa ser iniciada cerca de duas semanas antes de você voltar ao trabalho, com sua permanência no local, junto do bebê, durante algumas horas por dia.
  • Fique de olho na limpeza geral — verifique as instalações da cozinha (muitos bebês fazem uma ou duas refeições no berçário), do local onde as crianças são banhadas ou trocadas e até as condições dos brinquedos espalhados pelo lugar.
  • Pergunte qual é o procedimento da escola em caso de doença. Pode até ser inconveniente para pais que trabalham se a escola proibir a frequência da criança ao estabelecimento em caso de febre; por outro lado, esse tipo de procedimento mostra que a direção se preocupa com a saúde dos alunos e procura evitar a disseminação de doenças contagiosas. Nenhum pai ou mãe quer ver o filho doente a toda hora.
  • Verifique se há locais para que os profissionais lavem as mãos com frequência e se as crianças ficam confinadas em espaços muito pequenos em dias de frio ou chuva.

O ideal é que não haja mistura de bebês com crianças mais velhas, e que os funcionários do berçário não atendam as outras crianças, porque as doenças são diferentes de acordo com a faixa etária.

Veja também se a escola exige cópia da carteira de vacinação na hora da matrícula.

Fonte:

http://brasil.babycenter.com/como-escolher-a-creche-ou-o-bercario

Deixe um comentário

Arquivado em Educação